26 de jul de 2010

Ilê Axé Opô Afonjá

Ilê Axé Opô Afonjá

Ministro da Cultura participa das comemorações dos 100 anos do terreiro de candomblé



        Em homenagem ao centenário do histórico terreiro de candomblé Ilê Axé Opô Afonjá, que ao longo de sua história valorizou a preservação da religião afro e sua identidade, será realizada uma sessão solene na Câmara Municipal de Salvador, no Plenário Cosme de Farias. O ministro da Cultura, Juca Ferreira, participa da solenidade que acontece às 19h desta terça-feira, 13 de julho.

        O Ilê Axé Opó Afonjá tornou-se referência na construção de valores das religiões de matriz africana do estado. Fundado em 1910 por Eugênia Anna dos Santos, mais conhecida como Mãe Aninha, representa um marco nas lutas de afirmação e identidade religiosa no Brasil.

         Representantes de diversos terreiros, pesquisadores e líderes dos movimentos sociais também estarão presentes ao evento, que contará com a apresentação musical do Mestre Matheus Aleluia.



História

        Ao longo desses 100 anos, o terreiro e seus seguidores promoveram várias ações para a afirmação e o entendimento da religião no território brasileiro. Uma delas ocorreu quando Mãe Aninha visitou Getúlio Vargas e lhe mostrou toda a grandeza e a complexidade da religião de matriz africana. O fato teve considerável importância na história do candomblé, pois, em seguida, o então Presidente do Brasil promulgou o Decreto Lei nº 1.202, proibindo qualquer embargo sobre os exercícios da religião do candomblé no País.
        Além da fundadora, quatro iyalorixás estiveram à frente do candomblé de São Gonçalo em seus primeiros 100 anos, preservando todo o legado ancestral. São elas: Mãe Bada, Mãe Senhora, Mãe Ondina e, atualmente, Mãe Stella de Oxossi.



Agenda Comemorativa

13 de julho - Sessão especial de celebração do centenário do Ilê Axé Opô Afonjá na Câmara Municipal de Salvador, a partir das 18h, no Plenário Cosme de Farias;
30 de julho - Evento comemorativo no barracão de festas do Afonjá. Às 19h, saudação à Casa pelos alabês do terreiro, seguida da abertura do evento, performance do dançarino e coreógrafo Clyde Morgan, lançamento de selo comemorativo pelos Correios e apresentação do afoxé Filhos de Gandhy;
31 de julho - A partir das 8h, no terreiro, inauguração do busto de Mãe Aninha, mesas-redondas, lançamento de livros e exibição de vídeos, além da apresentação do bloco Cortejo Afro;
1º de agosto - Palestras no barrracão de festas, apresentação de grupos de capoeira, dança e da Banda Aiyê.



Informações: (61) 2024-2407, na Comunicação Social/MinC.



Publicado por Comunicação Social/MinC

Categoria(s): Notícias do MinC, O dia-a-dia da Cultura

Tags: Ilê Axé Opô Afonjá, Juca Ferreira, Mãe Aninha, Ministro da Cultura


Nenhum comentário:

Postar um comentário