18 de jun de 2010

Umbanda

        A Umbanda talvez seja hoje em dia a maior síntese do imaginário popular brasileiro. A fusão que se  processou entre as cinco correntes que formaram a sua estrutura - cristianismo, espiritismo, candomblé, religiões orientais e rituais ameríndios - se deu de tal forma que resultou num novo corpo doutrinário no qual não se distinguem mais estas influências originadoras.
        Nascida entre as camadas mais humildes da população, a Umbanda se espalhou de forma vertical por todos os outros segmentos, numa exposição rápida e surpeendente. Hoje em dia nos terreiros, convivem lado a lado pessoas das mais diversas origens, unidas por este espírito ecumênico característico da índole do povo brasileiro.
       Além desta inédita fusão de crenças aparentemente tão distintas entre si, a Umbanda também criou e plasmou seus próprios arquétipos: o preto-velho, o caboclo, as crianças, os exus e diversas outras entidades espirituais já estão definitivamente incorporados ao inconsciente coletivo do nosso país.        

Texto de Waltemar Falcão presente no livro: Umbanda: Paz, Liberdade e Cura. de Zeca Ligiéro e Dandara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário